Publicado por Redação

Chamada pela ciência de Geum urbanum, esta é uma planta que pertence à família das Rosaceae e por ter este nome científico é também conhecida, simplesmente, por geum. Além disso, é popularmente conhecida por erva benta, nome atribuído pela Santa Hildegarda, tendo em vista que era utilizada com o objetivo de retirar os “demônios” de pessoas possuídas.

Com o passar do tempo e levando em consideração o avanço das tecnologias, foi possível saber e reconhecer de forma verídica as propriedades desta planta e como ela age no organismo humano.

Características da erva benta

Planta anual, possui folhas pequenas e com um tom verde-claro. Já as flores aparecem entre os meses de maio e julho e pela cor, amarelo-dourado, acaba chamando atenção na mata.

Erva benta

Foto: Reprodução/Wikimedia Commons

Possuem entre cinco e seis pétalas cada e são capazes de exalar um aroma bastante agradável. Além das folhas e flores, é possível usar as raízes da planta que podem ser colhidas no período do outono.

Propriedades e benefícios desta planta

  • Adstringente;
  • Antiespasmódica;
  • Antioxidante;
  • Digestiva;
  • Febrífuga;
  • Purificante;
  • Tônica;
  • Vitamínico;
  • Vulnerária.

Diante de tantas propriedades benéficas ao organismo, pode-se dizer que a erva benta é eficaz no tratamento de catarro gastrintestinal e cólica intestinal. É também altamente benéfica em casos de problemas digestivos, eliminado dispepsias e diarreias violentas.

Além disso, pode ser aplicada em casos de hemorragias na gengiva ou internas, inflamação bucal, descarnadura dos dentes e até para sanar o mau hálito. É também considerado um remédio natural para acabar com a hemorroida e outros problemas que afetam à pele.

Formas de usar a geum

Como já foi visto, a planta possui propriedades medicinais tanto nas folhas, como nas flores e também nas raízes. Todavia, a forma de utilização delas difere uma da outra. Isso porque no caso das folhagens, elas precisam estar frescas e ainda verdes para que a infusão possa aproveitar todo o conteúdo medicinal delas. Já as flores, estas também precisam ser usadas ainda frescas mas pelo método de emulsão. Enquanto que as raízes só devem ser aproveitadas pelo método de decocção.

Veja mais!