Publicado por Redação

Certos tipos de plantas causam estranheza só de ouvir a pronúncia do nome. Seja pela falta de conhecimento ou não intimidade com as espécies de plantas, o fato é que a medicina natural pode também funcionar como uma ferramenta de conhecimento. Nesse sentido, você já ouviu falar na capitiú?

A capitiú é uma planta que pertencente à família das monimiaceae. Dependendo do local onde ela é encontrada, também pode ser conhecida por vários outros nomes. Entre os principais, destaque para caapitiú, limão-bravo e cicatrizante-das-guianas.

Trata-se de uma planta que possui propriedades curativas e pode ser usada no processo de tratamento e cura de algumas doenças. Porém, antes de incluí-la no tratamento de qualquer que seja a doença, o médico deve ser consultado. Só ele tem conhecimento suficiente para certificar a utilização da planta sem qualquer consequência à saúde.

Capitiú

Foto: Reprodução/Wikimedia Commons

Ele também é a pessoa mais indicada para prescrever a dosagem, assim como a frequência que deve ser tomada durante o dia. É bom ficar atento ao consumo excessivo, já que isso pode desencadear sérias consequências para a saúde do paciente, inclusive, desenvolvendo outro tipo de doença diferente do que recorre por tratamento.

Propriedades medicinais do capitiú

Como já foi dito anteriormente, essa planta possui propriedades medicinais que podem ser usadas no tratamento de algumas doenças. Ela possui efeito calmante, diurético, tônico e vasodilatador. O capitiú também pode ser usado para aliviar dores e incômodos no peito.

Dessa forma a planta combate a cólica ventosa, dispepsia, espasmo doloroso, febre, gases e reumatismo.

Chá de capitiú

Uma das formas mais usuais de fazer uso da planta em prol da saúde humana é através do preparo do chá. Para prepará-lo, basta separar 200 ml de água filtrada e uma colher (de sopa) da erva seca ou fresca. O primeiro passo é levar a água para ferver em uma vasilha com tampa.

Assim que a água começar a apresentar os primeiros sinais de ebulição, desligue o fogo e acrescente a erva. Preserve o recipiente fechado e deixe ele descansar por 10 minutos. Passado esse tempo, com ajuda de uma peneira, remova toda a erva que foi usada no preparo do chá, logo em seguida, a bebida está pronta para ser ingerida.

A recomendação é que o consumo não ultrapasse as três xícaras diárias, porém, o mais recomendado é que o médico seja consultado.

Veja mais!